email: comercial@zancollor.com.br

Ícone Facebook Ícone Instagram Ícone Linkedin
VOLTAR

 • 

6 minutos de leitura.

4 formas de melhorar o controle de qualidade na indústria do plástico

Autor:
Zan Collor

Publicado em
05/11/2021

Você adota boas práticas para melhorar o controle de qualidade na indústria do plástico? Conhecer e controlar os processos é fundamental para um negócio bem-sucedido, porque a entrega passa a corresponder às expectativas.

Algumas práticas são próprias da indústria, como manter as manutenções em dia, padronizar os processos, ter indicadores e monitorá-los. Mas quais outras formas de melhorar o controle de qualidade na indústria do plástico?

 

A importância do controle de qualidade na indústria do plástico

O controle de qualidade serve para identificar defeitos, falhas e erros no produto antes que ele chegue até o cliente. Ele garante, no longo prazo, a rentabilidade e a confiabilidade do negócio, pois reduz os desperdícios e preserva a reputação. Por isso, testes, inspeções e verificações são tão importantes.

Na indústria do plástico, a excelência se tornou algo imprescindível (e evidente) nos últimos meses. Por isso, fazer um bom controle de qualidade se tornou mais relevante para evitar prejuízos e garantir que o produto esteja em conformidade com as novas e com a demanda.

 

4 boas práticas para o controle de qualidade na indústria do plástico

Analisar bem a matriz

A análise da matriz é fundamental para o controle de qualidade na indústria do plástico. Isso porque o produto final precisa cumprir o padrão exigido pela própria empresa, pelos consumidores e pelos órgãos fiscalizadores. A matriz é o que assegura que os atributos do produto sejam cumpridos.

Densidade, componentes da peça, cor, resistência às temperaturas, física e mecânica são considerados na análise da matriz. Se ela for aprovada e liberada, a produção em grande escala obedece à sua composição.

 

Avaliar bem as particularidades

A diversidade dentro da indústria do plástico poderia atrapalhar o controle de qualidade. No entanto, se os gestores conseguem avaliar bem as particularidades dos produtos, não terão muitos problemas.

O controle de qualidade do plástico depende da aplicação dos produtos e das exigências do mercado consumidor. O controle de granulado, por exemplo, pode ser feito de maneira simples, como a análise de pequena quantidade do material: basta colocá-lo em superfície clara, emitir uma luz para observar a homogeneidade de cor e da granulometria. Ensaios laboratoriais e térmicos também podem ser utilizados para esse controle.

 

Utilizar ferramentas

Muitas ferramentas podem ser utilizadas para melhorar o controle de qualidade na indústria do plástico. Na verdade, elas são voltadas para otimizar a produtividade e a eficiência das indústrias, pois permitem identificar a raiz do problema. Veja algumas opções:

  1. Histograma: diagrama de barras verticais que representam a frequência de um conjunto de dados. É utilizado para para mostrar a periodicidade de algum evento, o que ajuda a priorizar e relacionar ações.
  2. Diagrama de pareto: comum para determinar e tratar não conformidades na produção e para identificar pontos de aprimoramento, também facilita a visualização das causas de um problema.
  3. Diagrama de causa e efeito (Espinha de Peixe ou Diagrama de Ishikawa): identifica, classifica e manifesta possíveis causas de problemas, o que permite atingir a solução considerada ideal.
  4. Fluxograma: ferramenta de planejamento para identificar o melhor fluxo a ser percorrido no processo produtivo. Traz símbolos e gráficos, o que auxilia na visualização das etapas.
  5. Folha de verificação (checklist): planilha para coleta e análise de dados que ajuda a identificar mais facilmente os erros repetidos em um processo e, posteriormente, criar um plano de ação.

 

Adotar a tecnologia de forma estruturada

Nós estamos na era da revolução tecnológica, que modificou os modelos de negócios. A transformação digital invadiu a indústria do plástico para otimizar os processos e, claro, a qualidade. Mas existe um cuidado fundamental neste ponto: usar a tecnologia de forma bem estruturada.

O uso inteligente da tecnologia é destacado por Gustavo Brito, Head Global de Indústria Digital da Stefanini. Para ele, “os líderes digitais precisam se atentar de que a tecnologia deve ser aplicada, porém de uma forma bem estruturada para atingir os níveis operacionais tão almejados em um determinado processo produtivo”.

De fato, a tecnologia bem utilizada proporciona o aumento do nível de excelência, pois dá aos gestores informações para tomar melhores decisões operacionais. A análise de dados, inclusive, é algo que Brito destaca como valioso na indústria.

Em sua visão, a partir do uso de inteligência artificial, é possível obter melhores resultados para o negócio. Ele explica: “foi a partir dessa abordagem que atingimos resultados em algumas unidades industriais em frentes como predições de falhas, de peso de matéria-prima, do teor de sílica, detecção de vazamento em processos de mineração e predição de alarmes críticos”.

Ser eficiente ao fazer um controle de qualidade na indústria do plástico pode determinar o sucesso do seu negócio. As ferramentas corretas, inclusive tecnológicas, auxiliam em um controle mais preciso.

Fonte: https://mundodoplastico.plasticobrasil.com.br/gestao/