email: comercial@zancollor.com.br

Ícone Facebook Ícone Instagram Ícone Linkedin
VOLTAR

 • 

5 minutos de leitura.

Densidade do plástico: o que é e para que serve?

Autor:
Zan Collor

Publicado em
04/02/2022

Os materiais plásticos podem ser classificados de acordo com sua densidade. Densidade, no conceito matemático, é o quociente entre massa (g) e volume (cm³) de um corpo. Ou seja, é resultado de sua massa dividida pelo espaço que ocupa. E por que a densidade do plástico é importante quando falamos desse material?

Acompanhe!

 

O que é densidade do plástico?

O cálculo da densidade de dois materiais nos permite visualizar qual material é mais ou menos “pesado” (denso). Elias Augusto Soares,  explica que os plásticos apresentam uma densidade relativamente baixa dentro de uma variação de 0,9 a 2,3 g/cm³.

Um polietileno de baixa densidade (entre 0,91 e 0,94 g/cm³), por exemplo, indica que uma pequena quantidade de PEBD (massa) é suficiente para produzir uma grande película plástica.

De acordo com ele, existem muitos fatores que influenciam na densidade do plástico: “composição atômica, presença de ramificações ou grupos laterais, modo de conformação da cadeia molecular, grau de cristalinidade, presença de aditivos, uso de cargas, entre outros”.

E complementa: “Isso acontece porque os átomos que compõem as estruturas da maioria dos plásticos são geralmente, carbono (C), hidrogênio (H), oxigênio (O) e nitrogênio (N), elementos muito mais leves que o alumínio (Al) e ferro (Fe), por exemplo, presentes nas estruturas de materiais metálicos. Além disso, a distância média entre os átomos dos plásticos é, em parte, maior que nos metais”.

 

Importância de descobrir a densidade do plástico

A densidade do plástico é uma característica muito importante para definir suas aplicações, os processos de produção e a forma ideal de reciclagem. De forma simples, qualquer material que apresenta densidade maior que 1 g/cm³ (que é a densidade da água) flutua na água. O restante decanta.

Entender a densidade é fundamental para facilitar na hora da reciclagem dos resíduos plásticos pós-consumo. Os transformadores e recicladores têm dificuldades neste momento, pois muitos materiais se encontram misturados. É preciso separar os diferentes tipos de plásticos, pois alguns são incompatíveis entre si. Quando se baseiam em características físicas, como a densidade, e de degradação térmica dos plásticos, conseguem segmentar os materiais.

 

Como descobrir a densidade do plástico?

O teste de flutuabilidade é uma das maneiras que um transformador ou reciclador consegue identificar a densidade do plástico. Elias aponta que “materiais plásticos como o polietileno (PE) e o polipropileno (PP) possuem densidade abaixo de 1 g/cm³, portanto são menos densos do que a água, o que os faz boiar. Já plásticos como PET e PVC possuem densidade acima à da água, portanto, afundam”.

O profissional ainda pontua que “a separação de plásticos por densidade usando água como indicador é bastante utilizada em processos de reciclagem de garrafas plásticas de bebidas em que, depois de serem moídas, passam por uma banheira com água. Dessa forma, o PET que compõe o corpo da garrafa afunda, e o PEAD da tampa boia”.

É possível, ainda, utilizar outros líquidos (inertes ao plástico) ou sais que se misturem na água, a fim de variar sua densidade e mudar a faixa de separação para abaixo ou acima de 1 g/cm³ e, assim, realizar a separação entre outros tipos de plásticos.

A outra maneira é o teste da chama. Pela coloração e característica da chama, é possível identificar a densidade do plástico.

Entender a densidade do plástico é uma maneira de otimizar o processo de transformação e reciclagem. Os testes são simples e podem contribuir para que a separação do material seja eficiente.

 

Fonte: https://mundodoplastico.plasticobrasil.com.br/